20 de Oct de 2018


Economia brasileira: rumo ao crescimento de 3% em 2018

Impulsionada pela expansão de consumo e investimento

Por: Carlos Cavalcanti
24/01/2018 às 18h20

Em novembro, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica, do Bacen) subiu 0,49% sobre outubro, na série com ajuste sazonal. Trata-se de um bom resultado, considerando-se também que, na série sem ajuste sazonal, este indicador teve elevação de 2,82% frente a novembro de 2016. Desse modo, no trimestre setembro-novembro de 2017, na série ajustada, o IBC-Br aumentou 0,59% sobre o trimestre junho-agosto.

Pelo lado da oferta, houve crescimento de 0,59%, no trimestre setembro-novembro, por causa do avanço do varejo (+ 1,10%) e da indústria (+ 0,54%), já que ocorreu declínio do nível de atividade do setor de serviços (- 1,02%).

Pelo lado da demanda, o incremento de 0,59% do IBC-Br, no referido trimestre, deveu-se:

–  À queda dos juros reais e da recuperação da massa real de salários;

– Ao avanço de 2,0% da produção de bens de capital (máquinas e equipamentos), indicando que houve algum avanço dos investimentos; e

–  Ao excelente desempenho do setor exportador.

 

Em 2018, espera-se que a economia brasileira cresça 3%, dado o horizonte de: i) ampliação do consumo das famílias, em resposta à manutenção da tendência de aumento da massa real de salários; e ii) incremento dos investimentos, devido à diminuição da capacidade ociosa.

Por outro lado, o grave quadro fiscal continuará impedindo que o nível de atividade tenha expansão mais sustentável.


Economista com pós-graduação pela Unicamp. Foi responsável pela área de economia do CIESP (2005-2007) e assessor da Presidência da ABINEE entre 2007 e 2016. Atualmente dirige a assessoria de economia do Sindipeças e é colaborador do EH.

MAIS NOTÍCIAS

Varejo brasileiro deverá crescer 2,5% em 2018

Impulsionado por supermercados e eletrodomésticos

Espera-se que Brasil crie 400 mil empregos em 2018

Principal motivo: baixa de juros ocorrida no país

Economia brasileira deve gerar 350 mil empregos formais em 2018

Comércio e serviços lideram as contratações

Mercado de trabalho deve gerar 450 mil empregos

Em função da melhora das atividades industriais e de serviços