21 de Apr de 2018


Economia brasileira criou 34,4 mil empregos em setembro

Expectativa é de melhora do mercado de trabalho com a recuperação econômica.

Por: Carlos Cavalcanti
24/10/2017 às 15h21

Em setembro, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), houve a geração líquida de 34,4 mil empregos formais. Este resultado foi bem melhor em comparação ao mesmo mês de 2016, quando foram eliminados, aproximadamente, 39,3 mil postos.

Apesar disso, nos últimos 12 meses terminados em setembro, o mercado de trabalho brasileiro contabilizou a extinção de 466,7 mil vagas formais. Este desempenho é:

a. Relativamente mais favorável que o dos últimos 12 meses terminados em agosto de 2017 (extinção de 544,7 mil vagas); e

b. Significativamente melhor que o observado nos últimos 12 meses encerrados em setembro de 2016 (destruição de 1.577,5 mil vagas).

A referida extinção de 466,7 mil empregos, deveu-se ao desempenho combinado dos seguintes setores:

– Indústria: eliminação de 325,0 mil vagas;

– Agricultura: criação de 17,8 mil postos de trabalho;

– Comércio: destruição de 26,2 mil empregos;

– Serviços: extinção de 121,1 mil vagas; e

– Administração Pública: eliminação de 12,2 mil postos de trabalho

Nessa perspectiva, mantém-se para 2017 a estimativa anterior de eliminação de 300 mil postos, o que, de todo modo, significa uma queda inferior ante o verificado em 2016 (1,32 milhão de vagas). A expectativa é de que o mercado de trabalho continue em recuperação, em face do cenário de crescimento moderado do nível de atividade da economia brasileira em 2017 (+0,7%) e em 2018 (+2,2%).


Economista com pós-graduação pela Unicamp. Foi responsável pela área de economia do CIESP (2005-2007) e assessor da Presidência da ABINEE entre 2007 e 2016. Atualmente dirige a assessoria de economia do Sindipeças e é colaborador do EH.

MAIS NOTÍCIAS

Brasil – crédito ao consumidor caminha para um crescimento de 6% em 2018

Impulsionado por crédito pessoal e cartão de crédito

Avanço do investimento no quarto trimestre sinaliza maior brilho da economia brasileira em 2018

Principais motores serão indústria e serviços

“Volatilidade prosseguirá nos mercados globais”

Roberto Nemr: juros americanos são crescentes

Preços dos ativos globais vão cair?

Comentários de Roberto Nemr