27 de May de 2019


Economia brasileira gerou 35,5 mil empregos em agosto

Perspectiva é de melhora gradual do mercado de trabalho

Por: Fabio Silveira
26/09/2017 às 10h29

No mês de agosto, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), houve a geração líquida de 35,5 mil empregos formais. Este resultado representa uma grande melhora em comparação ao mesmo mês de 2016, quando foram eliminados, aproximadamente, 34 mil postos.

Apesar disso, nos últimos 12 meses terminados em agosto, o mercado de trabalho brasileiro contabilizou a extinção de 544,7 mil vagas formais. Este desempenho é:

a. Relativamente mais favorável que o dos últimos 12 meses encerrados em julho de 2017 (extinção de 618,7 mil vagas); e

b. Significativamente melhor que o observado nos últimos 12 meses encerrados em agosto de 2016 (destruição de 1.656 mil vagas).

A referida extinção de 544,7 mil empregos, deveu-se ao desempenho combinado dos seguintes setores:

–  Indústria: eliminação de 370,5 mil vagas;

– Agricultura: criação de 17,4 mil postos de trabalho;

– Comércio: destruição de 37,1 mil empregos;

– Serviços: extinção de 142,9 mil vagas; e

– Administração Pública: eliminação de 11,6 mil postos de trabalho

Nessa perspectiva, mantém-se, para 2017, a estimativa anterior de eliminação de 300 mil empregos, o que, de todo modo, significa uma queda expressiva ante o verificado em 2016 (1,32 milhão de vagas). A expectativa é de que o mercado de trabalho continue em recuperação, em face do cenário de crescimento moderado do nível de atividade da economia brasileira em 2017 (+0,5%) e em 2018 (+2,0%).


Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.

MAIS NOTÍCIAS

Varejo brasileiro deverá crescer 2,5% em 2018

Impulsionado por supermercados e eletrodomésticos

Espera-se que Brasil crie 400 mil empregos em 2018

Principal motivo: baixa de juros ocorrida no país

Economia brasileira deve gerar 350 mil empregos formais em 2018

Comércio e serviços lideram as contratações

Mercado de trabalho deve gerar 450 mil empregos

Em função da melhora das atividades industriais e de serviços