24 de Nov de 2017


IBC-Br cresce no primeiro trimestre

Devendo, ainda, evoluir positivamente nos próximos meses.

Por: Fabio Silveira
16/05/2017 às 11h34

 

 

Em março, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Bacen) recuou 0,4% em relação a fevereiro, na série com ajuste sazonal, apresentando a primeira queda no ano. Desse modo, nos últimos 12 meses, estima-se que a economia brasileira declinou 2,78%.

Na comparação com o mesmo mês de 2016, o desempenho de março correspondeu a um avanço de 1,05%, na série sem ajuste sazonal; contabilizando, assim, nos últimos 12 meses, uma retração de 2,63%.

Diante desse desempenho, no primeiro trimestre de 2017, o IBC-Br, na série com ajuste sazonal, aumentou 1,12% sobre o quarto trimestre de 2016, interrompendo uma sequência de oito trimestres negativos.

Pelo lado da oferta, essa melhora do nível de atividade está em linha com a evolução de dois importantes indicadores macrossetoriais. Isto porque, no comparativo primeiro trimestre de 2017 versus trimestre imediatamente anterior, observou-se:

          a)Aumento de 3,3% do volume de vendas do varejo; e

          b) Incremento de 0,7 da produção industrial.

Para o segundo trimestre, em função da acentuada baixa dos juros e do bom desempenho da receita das exportações nos últimos meses, a expectativa é que o IBC-Br cresça 0,3% sobre o trimestre anterior; e registre avanço de 1% no fechamento de 2017.

Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.

MAIS NOTÍCIAS

Vendas do varejo subiram 0,5% em setembro, devendo crescer 2,2% em 2017

Sustentadas pelo aumento de salários e crédito

Inflação acelera em outubro

IPCA teve alta de 0,42% no mês.

Minerva (BEEF3): empresa apresenta forte resultado no 3T17

Ações têm potencial de valorização superior a 20%

Taxa de desocupação segue em queda

Atingiu 12,4% no trimestre encerrado em setembro