14 de Nov de 2018


Indústria mostra sinais mais firmes de recuperação

Produção aumentou 0,6% no primeiro trimestre.

Por: Economia Hoje
05/05/2017 às 14h08

 

Em março, a produção industrial brasileira recuou 1,8%, na série com ajuste sazonal. Trata-se de um resultado menos decepcionante do que parece, já que, na série sem ajuste sazonal, houve elevação de 1,1% frente a março de 2016, o que corresponde ao segundo avanço mensal do setor neste ano.

Ainda assim, nos últimos 12 meses terminados em março, a indústria recuou 3,8%, que é a menor contração para esse período desde mar15, quando ocorreu uma diminuição da produção de 4,2%.

A perda acentuada de fôlego entre abril de 2016 e março de 2017 deveu-se, principalmente, à vigência dos seguintes fatores adversos no ano passado:

 

     a) Juros reais médios próximos de 9%, encarecendo o custo de financiamento do capital de giro das empresas;

      b) Diminuição de 6,3% do volume de vendas do varejo; e

      c) Baixa de 4,5% da receita real de exportação, em moeda local.

 

O incremento de março (+ 1,1%), na série sem ajuste sazonal, foi sustentado pelo avanço de bens de capital (+ 4,5%), bens de consumo (+ 1,3%) e bens intermediários (+ 0,5%), em resposta: a) à evolução positiva da receita agrícola; b) aos primeiros sinais de recuperação da própria indústria; e c) ao aumento das exportações. 

Desse modo, no primeiro trimestre, a produção industrial expandiu-se 0,6% em relação a igual período de 2016, exibindo o primeiro e mais consistente progresso em 12 trimestres.

Até o final deste ano, o setor tende a continuar evoluindo favoravelmente, ainda que de modo lento, dado o cenário de: a) declínio dos juros e ampliação do crédito no mercado doméstico; e b) razoável alento para as vendas externas, em função da expansão sincronizada das economias americana, europeia e chinesa.

Esse conjunto de fatores deve permitir que a produção industrial brasileira, em 2017, tenha crescimento da ordem de 1,5%, interrompendo a trajetória declinante observada desde 2014.

MAIS NOTÍCIAS

Bebidas, combustíveis e veículos foram os destaques positivos nos últimos seis meses

Além de indústria extrativa, higiene e limpeza

Produção de veículos tende a crescer 10% em 2018

Devido à melhora de vendas domésticas e exportações

Produção de veículos tende a crescer 13% em 2018

Devido à melhora de vendas domésticas e exportações

Setor de petróleo e derivados deve ampliar déficit comercial em 2018

Por causa do aumento do preço do óleo e da expansão do mercado doméstico