24 de Nov de 2017


Inflação perde fôlego

IPCA variou apenas 0,14% em abril.

Por: Fabio Silveira
11/05/2017 às 15h36

 

Em abril, o IPCA subiu 0,14%, evoluindo menos do que em março (+ 0,25%). Esse pequeno aumento deveu-se à pressão altista exercida, sobretudo, pelos grupos de preços de saúde e cuidados pessoais (+ 1,0%) e alimentação e bebidas (+ 0,58%).

Por outro lado, evitou maior avanço do índice, a deflação dos grupos de: a) habitação     (- 1,1%), refletindo a redução da tarifa de energia elétrica residencial (- 6,4%), por causa de descontos realizados pela ANEEL para compensar cobranças indevidas de consumidores efetuadas anteriormente.

Com o resultado de abril, o IPCA apresentou variação de 4,08% nos últimos doze meses, que é a menor para este período desde julho de 2007 (+ 3,74%)

Nos próximos meses, estima-se que o índice continue registrando incrementos relativamente reduzidos, que projetam uma alta de 4% no fechamento do ano, ficando, assim, abaixo do centro da meta de inflação (+ 4,5%).

Diante deste cenário, aumentam as apostas de que o COPOM deverá promover um corte mais expressivo dos juros, de 1,25 ponto percentual, em sua próxima reunião, prevista para os dias 30-31 de maio.

 

Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.

MAIS NOTÍCIAS

Preços das mercadorias estão acelerando!

Pressão altista à vista sobre índices de preços.

IPCA-15 desacelera para 0,11% em setembro

Alimentos continuam sendo muito deflacionários.

Preços das mercadorias ficaram estáveis na semana passada

Alta dos combustíveis foi neutralizada pelo recuo dos produtos agrícolas.