25 de Sep de 2017


IPCA fraco pode diminuir Selic para 10% neste mês

Ainda há muita ociosidade na economia.

Por: Economia Hoje
10/05/2017 às 16h46

Em abril, o IPCA subiu apenas 0,14%, devido, em boa medida, à redução da tarifa de energia elétrica. Desse modo, nos últimos doze meses, o índice oficial de inflação acumulou uma elevação de 4,08%, que é a mais baixa para esse período desde julho de 2007 (3,74%).

Nos próximos meses, a expectativa é que as taxas mensais de variação do IPCA sejam muito baixas, em torno de 0,25%, e mantenham a evolução da inflação em doze meses abaixo do centro da meta (4,5%).

Além da relativa estabilização da taxa de câmbio, os preços domésticos recuaram em virtude da drástica contração do consumo e do investimento da economia brasileira no segundo semestre de 2016 e nos primeiros meses de 2017.

Como complemento: a) o grau de ociosidade das empresas segue elevado, apesar da relativa melhora dos indicadores de desempenho de indústria e serviços em passado recente; e b) o nível de inadimplência de pessoas jurídicas alcançou patamar explosivo, ampliando a percepção de risco por parte do sistema financeiro.

A predominância desses vetores apenas enfatiza a necessidade de uma queda mais vigorosa dos juros reais, que, atualmente, giram em torno de 5,5%. Balizada por tal parâmetro, não há dúvida que a política monetária ainda representa poderoso freio à retomada do crescimento econômico em 2018.

Diante desse cenário, espera-se que o Copom diminua a taxa Selic em 1,25 ponto percentual, baixando-a para 10% ao ano, na sua próxima reunião, prevista para os dias 30-31 de maio.

MAIS NOTÍCIAS

IPCA-15 desacelera para 0,11% em setembro

Alimentos continuam sendo muito deflacionários.

Preços das mercadorias ficaram estáveis na semana passada

Alta dos combustíveis foi neutralizada pelo recuo dos produtos agrícolas.

IGP-M persiste na rota deflacionária

Índice recuou 0,78% nos últimos 12 meses