12 de Dec de 2018


IPCA variou 0,08% no mês de setembro

Esse crescimento foi o menor desde julho de 2014.

Por: Fabio Silveira
19/10/2016 às 12h32

 

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), medido mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), registrou uma variação de 0,08% no último mês de setembro.

Esse crescimento foi o menor registrado desde a taxa de 0,01% de julho de 2014, o que demonstra uma desaceleração do ritmo de crescimento dos preços no país. No mês de agosto, o índice foi 0,44%.

Comparando com o mês de setembro de outros anos, não há registro de uma taxa menor desde 1998, quando foi de -0,22%.

Dos 9 itens que compõe o IPCA, apenas 3 tiveram crescimento: Habitação, Vestuário e Comunicação.

Como consequência, no acumulado do ano, o IPCA encontra-se em 5,51%, muito abaixo dos 7,64% no mesmo período de 2015.

Ademais, quando consideramos os 12 meses encerrados em setembro, a taxa atingiu 8,48%, bem menor, portanto, do que o período de 12 meses encerrado em setembro do ano passado (9,5%).

Estimamos que a inflação oficial (IPCA) se situe em 6,7% no corrente ano, o que significará sua manutenção acima da meta oficial, mas representará uma redução relevante frente aos 10,7% de 2015.

Fica, portanto, cada vez mais patente que o Brasil vivencia um importante processo de redução da inflação, resultado da conjugação de uma relativa estabilização da taxa média de câmbio, com uma expansão menor dos preços agrícolas, energia e derivados de petróleo, num contexto de recessão sem precedentes.

Optamos nesse momento, apesar do evidente impacto do mês de setembro, em não alterar nossa estimativa para 2017, que continua 5,2%.

Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.

MAIS NOTÍCIAS

Preços das mercadorias devem aumentar 2,8% em setembro

Arroz e tomate têm grande elevação

Óleo diesel e gasolina – preços atuais prejudicam a rentabilidade da Petrobras

E evitam (artificialmente) que a inflação aumente!

Preços das mercadorias tendem a subir 0,70% em agosto

Em resposta à majoração dos preços agrícolas