14 de Nov de 2018


Produção industrial fecha ano com queda de 6,6%

Por causa, principalmente, do encarecimento do crédito.

Por: Fabio Silveira
01/02/2017 às 18h58

Em dezembro, a produção da indústria brasileira cresceu 2,3% em comparação com novembro, na série com ajuste sazonal. Esta melhora deveu-se à combinação dos seguintes resultados: a) elevação da produção de bens de consumo (+ 1,8%) e bens intermediários em (+ 1,4%); e b) recuo do segmento de bens de capital (- 3,2%).

Apesar disto, no fechamento de 2016, a produção do setor contabilizou um declínio de 6,6%, apresentando, assim, a terceira queda anual consecutiva, segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), do IBGE.

No ano passado, o nível de atividade industrial mostrou esse declínio expressivo, em virtude da:

  1. Vigência de juros reais médios elevados, que alcançaram o patamar de 9,2% ao ano, encarecendo o custo de financiamento do capital de giro das empresas;
  2. Diminuição, da ordem de 6%, do volume de vendas do varejo; e
  3. Queda de 4,5%, em termos reais, da receita total da exportação brasileira, em comparação com 2015, situando-se em R$ 646,2 bi (ou US$ 185,24 bi).

Para 2017, prevê-se para a indústria um incremento de produção de 1,3%, interrompendo a sequência declinante desde 2014, em face da expectativa de:

  1. Baixa dos juros reais ao longo do ano; e
  2. Redução do endividamento de famílias e empresas

Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.

MAIS NOTÍCIAS

Bebidas, combustíveis e veículos foram os destaques positivos nos últimos seis meses

Além de indústria extrativa, higiene e limpeza

Produção de veículos tende a crescer 10% em 2018

Devido à melhora de vendas domésticas e exportações

Produção de veículos tende a crescer 13% em 2018

Devido à melhora de vendas domésticas e exportações

Setor de petróleo e derivados deve ampliar déficit comercial em 2018

Por causa do aumento do preço do óleo e da expansão do mercado doméstico