17 de Jul de 2018


Serviços finalmente despertaram em novembro

Setor tende a mostrar avanço de 2% em 2018

Por: Carlos Cavalcanti
12/01/2018 às 16h40

Em novembro, o volume de serviços cresceu 1,0%, na série com ajuste sazonal, após registrar recuo de 0,8% em outubro, segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE. Trata-se ainda de um desempenho modesto, considerando-se também que esse volume diminuiu 0,7% frente a novembro de 2016, na série sem ajuste sazonal.

A mencionada elevação de 1,0%, na série com ajuste, deveu-se à combinação das seguintes variações por segmento:

 

– Serviços prestados às famílias (+ 0,9%);

– Serviços de informação e comunicação (+ 0,9%);

– Transportes (+ 0,6%);

– Serviços profissionais, administrativos e complementares (+ 0,2%); e

– Outros serviços (+ 0,0%).

 

De todo modo, no fechamento de 2017, estima-se que o setor recue cerca de 2,5%, já que suas atividades foram muito prejudicadas pelo ciclo recessivo da economia brasileira no primeiro semestre do ano passado.

Para 2018, diante da atual melhora dos indicadores de emprego e renda, da retomada gradual do crédito e do maior fôlego da indústria, o volume de serviços tende a ganhar mais dinamismo, apresentando avanço de 2%.


Economista com pós-graduação pela Unicamp. Foi responsável pela área de economia do CIESP (2005-2007) e assessor da Presidência da ABINEE entre 2007 e 2016. Atualmente dirige a assessoria de economia do Sindipeças e é colaborador do EH.

MAIS NOTÍCIAS

Estima-se que varejo crescerá 3% neste ano

Refletindo a expansão de salários e crédito

Setor de serviços aponta para aumento de 1% em 2018

Crescimento virá após três anos de recuo

Varejo terá crescimento de 3% em 2018

Sustentado pelo aumento no crédito e no rendimento

Serviços recuaram 0,3% em setembro

Volume deve ter queda de 3% em 2017